Band é sede do II Encontro de Física de Partículas

Foi realizado em outubro no Band o II Encontro de Física de Partículas do Ensino Médio. O evento foi inspirado no Masterclass, que conta com a participação do professor de Física Alexandre Magno. O objetivo do Encontro foi ampliar a quantidade de alunos que realizam atividades sobre Física de Partículas.

particulas_1

O evento foi desenvolvido em parceria com o Instituto de Física Teórica (IFT), a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) e a Universidade Federal do ABC. Estiveram também presentes estudantes do Colégio Vera Cruz, Miguel de Cervantes e Oswald de Andrade.

particulas_2

Dentre as atividades do dia, se destacaram a palestra com a Dra. Patrícia Camargo Magalhães (USP), a vídeoconferência com o CERN, a análise dos dados do CERN, orientada pelo professor da UFABC Pedro Galli Mercadante, e a construção de sete câmaras de nuvens com visualização de rastros de raios cósmicos.

particulas_3

“Foi uma oportunidade ótima porque mais alunos puderam participar e discutir sobre um assunto e atual”, comentou o Prof. Magno.

O aluno Júlio Soler, da 3.a série, participou tanto do MasterClass quanto do Encontro de Física de Partículas. “Essas conferências são necessárias para que os alunos desenvolvam um interesse maior por uma parte da física tão diferente daquela estudada em sala de aula”, comentou.

Física de Partículas é tema do Masterclass

Alunos da 3.a série participaram do MasterClass 2013, em parceria com a USP, o Instituto de Física Teórica (IFT) e a Organização Européia para a Pesquisa Nuclear (CERN), em uma atividade relacionada à Física Contemporânea e de Partículas. A atividade tem como principal objetivo introduzir alunos do Ensino Médio a esta vertente da Física que não é tão explorada nos estudos escolares convencionais.

Os alunos foram preparados em aulas especiais para que pudessem interpretar os dados apresentados pelo CERN (responsável pelo maior acelerador de partículas existente) na visita ao IFT. Nesta avaliação, eles analisam as informações profissionalmente, com a mesma rigidez que um físico estuda as milhares de partículas existentes no Universo.

“A oportunidade de vivenciar o dia-a-dia de um pesquisador de partículas elementares é de extrema relevância e muito divertido“, cometa o aluno Guilherme Tavares. “Analisar os dados recolhidos do acelerador de partículas do CERN como um verdadeiro cientista  e conversar por videoconferência com estudiosos do assunto foram as experiências mais marcantes para mim”, completa.

“Percebemos que a adesão tem aumentado muito apesar de esta ser uma parte da Física não muito divulgada. Por isso, estamos pensando em fazer uma edição no Colégio este ano para que todos os alunos possam participar.”, explica Alexandre Magno, professor de Física.